Bélgica

A seleção belga se apresentou como forte concorrente na copa de 2014 e na de 2018 tem seu espaço garantido entre os destaques do ano. A seleção não é uma novata em mundiais: participou de outras 12 copas, mas, seu melhor desempenho foi em 2014 quando chegou até às quartas-de-final do mundial. Para a Copa do Mundo da Rússia, a seleção amarela e vermelha é cabeça de chave em um grupo no qual divide com a Inglaterra o favoritismo.

Em participações anteriores, ainda em um formato diferente, em que os times se enfrentavam apenas em confrontos eliminatórios, na Copa de 1934 a Bélgica amargou sua pior colocação no torneio: foi a 15º colocada entre 16 participantes.

Nas eliminatórias, os belgas fizeram uma campanha quase perfeita: nove vitórias e um empate: 43 gols a favor e apenas seis contra. Os pontos fortes da equipe são o meio-campo e ataque, recheado de jogadores habilidosos e perigosos. Entre os destaques do times estão De Bruyne, Hazard, Meunier e Lukaku. Confira a ficha técnica:

Cultura

A cultura belga tem muitas proximidades com a holandesa. Seu contexto histórico se insere principalmente com a cultura romana, visto que o reino belga fazia parte do povo romano, misturado com o germânico e celta. Entre os principais nomes de destaque na área cultural do país estão como Magritte, Delvaux ou Rops no campo das Belas Artes, Simenon no da Literatura, Toots Thielemans no mundo do Jazz, Hergé para a tira cômica, César Franck e Eugène Ysaÿe para a música clássica, e o cantor Jacques Brel. O país é reconhecido por ter alguns dos maiores nomes da música dance e eletrônica. Na Bélgica é realizado o festival de cinema de Gantes, é o maior festival cultural da Europa.

 

Páginas Relacionadas