Costa Rica

A Costa Rica participou pela primeira vez de um mundial em 1990, quando ficou em 12° lugar. Curiosamente, em 1990, os costarriquenhos também caíram na mesma chave que o Brasil. O confronto, apesar da grande pressão dos brasileiros, terminou com vitória mínima dos então tricampeões mundiais.

Apesar da derrota para o Brasil (0x1), a Costa Rica conseguiu a classificação depois de vencer a Escócia (1×0) e a Suécia (2×1). Nas oitavas-de-final, foi eliminada pela Checoslováquia (1×4).

No entanto, a grande campanha costarriquenha aconteceu em 2014, quando a seleção ficou na oitava posição. A Costa Rica era candidata a saco de pancadas no grupo considerado como o mais complicado daquele mundial, formado pela tetracampeã Itália, o bicampeão Uruguai e a campeã Inglaterra. Foram duas vitórias costarriquenhas contra o Uruguai (3×1) e Itália (1×0) e um empate contra a Inglaterra (0x0), que puseram os caribenhos na liderança do grupo.

Nas oitavas, a equipe ainda venceu a Grécia nos pênaltis (5×3), após um empate por 1×1. A queda dos costarriquenhos também foi nas penalidades para a Holanda (4×3), após 120 minutos sem gols.

Em 2018, a base do time é a mesma de 2014: dos 11 titulares que entraram em campo contra a Holanda, sete permanecem titulares da equipe comandada por Johan Venegas. Entre os jogadores de destaque estão o artilheiro costarriquenho, Bryan Ruiz; o atacante Joel Campbell e o goleiro Keylor Nevas. Confira a ficha técnica.

 

Você sabia?

Em 1821, a Costa Rica alcançou a independência (no dia 15 de setembro) e, em 1824, incorporou-se ao México. Nesse mesmo ano, passou a fazer parte da Federação Centro Americana e desintegrou em 1838. O território da Costa Rica é dividido internamente em províncias, mais precisamente sete, são elas: Guanacaste, Alajuela, Heredia, Cartago, San José, Limón e Puntarenas.

 

Páginas Relacionadas