França


Os franceses participaram de 14 mundiais e eliminaram a seleção brasileira em três oportunidades: duas vezes nas quartas-de-final (1986 e 2006) e na final de 1998 (veja abaixo). Em compensação, foram eliminados pelos brasileiros na semifinal, em 1958, com uma goleada por 5×2.

A França não esteve presente em 1950, no Brasil, devido a consequências da Segunda Guerra Mundial. Além disso, não esteve presente em 1962 (Inglaterra), 1970 (México), 1974 (Alemanha Ocidental), 1990 (Itália) e 1994 (Estados Unidos)

A única vez que a França foi campeã foi em 1998. Na fase de grupos, passeio francês: vitórias sobre África do Sul (3×0), Arábia Saudita (4×0) e Dinamarca (2×1). Nas oitavas-de-final, talvez o jogo mais emocionante para os anfitriões: vitória dramática na prorrogação, com direito a gol de ouro, pelo placar mínimo sobre a sólida e limpa defesa paraguaia, comandada por Gamarra. Naquela Copa, o zagueiro paraguaio terminou a participação no mundial sem cometer nenhuma falta, recorde que seria superado em 2006 pelo brasileiro Lúcio (o brasileiro permaneceu 4 partidas e 26 minutos sem faltas, contra 4 partidas e 23 minutos do paraguaio).

Nas quartas-de-final, mais emoções: os franceses derrotaram os italianos nos pênaltis após um empate no tempo normal e na prorrogação por zero a zero. Na semifinal, vitória sobre a Croácia (2×1) e, finalmente, na grande final, venceu a seleção brasileira por 3×0, com dois gols de Zinedine Zidane e um do Emmanuel Petit.

Para os brasileiros, o jogo ficou marcado pelas convulsões de Ronaldo Fenômeno, eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa no ano anterior e que disputava a Copa em alto nível. O vídeo abaixo mostra os melhores momentos da partida:

O título de 1998 estabeleceu uma mudança nos parâmetros da seleção francesa, que chegou como favorita para o mundial seguinte. Curiosamente, a performance do time foi decepcionante pífia. Os franceses, que mal puderam contar com Zidane (que até tentou jogar o último jogo da primeira fase contundido), não ganhou um único jogo.

Já em 2006, na Alemanha, foi vice-campeã. Perdeu a final nos pênaltis para a Itália, em jogo também marcado pela cabeçada de Zidane, que disputava seu último mundial, no zagueiro italiano Marco Materazzi.

Em relação aos protagonistas da seleção francesa, Raymond Kopa é um dos grandes ídolos, não só do futebol francês, mas também do esporte francês. Kopa foi um dos responsáveis pela popularização do futebol no país e conquistou muitos franceses com seu futebol bonito, de velocidade, de dribles e uma genialidade. Quem também tem destaque é Michel Platini, campeão de três bolas de ouro apresentava um futebol impressionante que desde seleções juvenis já criara expectativa de um grande craque a nascer.

Para a Copa do Mundo de 2018 a França vem forte, com seus jovens e talentosos jogadores, como Mbappé, que se mesclam com a experiência de peças como o goleiro Lloris e o atacante Giroud.

Você sabia?

Quando citamos a cultura francesa, a primeira coisa que nos aparece na cabeça é a gastronomia do país. A relação é tão forte, que os simbolismos das refeições representam vários processos evolutivos dentro da França. A nação francesa é conhecida também por seus diversos queijos, como Brie e Camembert, além dos muitos vinhos e do champanhe. O croissant também está no coração dos franceses e do mundo, especialmente, no Brasil. Também são ótimos na arte de fazer pães, como o baguette e o brioche, também.

 

Páginas Relacionadas